SAÚDE SEXUAL: FIM ÀS BARREIRAS DA DISFUNÇÃO ERÉTIL

O que todo homem deseja é de dar muito prazer à sua parceira, independente do local e da hora. No entanto, com a sociedade contemporânea cobrando das pessoas um estilo de vida cada vez mais dedicado ao trabalho, além de ser necessário lidar com diferentes pressões o dia todo, entre outros, muitos de nós acabam passando pelo que se conhece por disfunção erétil (ou impotência sexual), que é uma circunstância que revela problemas de saúde.

Logicamente, essa situação é alvo de muito preconceito entre os homens, que acabam ficando cabisbaixos por não corresponder às expectativas da parceira. Em primeiro lugar, é necessário saber o que é função erétil. Função erétil é ter disposição para manter o membro ereto e rígido, no tempo suficiente para consumar o ato sexual.

É normal, considerando toda a vida sexual, ocorrer algum problema de disfunção de forma ocasional, mas se isso for constante é bom estar atento e procurar um médico. Afinal, sexo faz parte de um estilo de vida e de qualidade de vida que todos necessitam, não é?

Várias podem ser as causas da disfunção erétil. Confira as principais:

 

- Doenças hormonais

- Doenças vasculares

- Doenças neurológicas

- Distúrbios psicológicos

- Consumo excessivo de medicamentos

- Tabagismo

- Alcoolismo

Após uma bateria de exames, o médico vai conseguir detectar, enfim, os motivos que estão levando à disfunção erétil e, principalmente, oferecer o tratamento adequado, que vai depender muito de cada indivíduo e, obviamente, do seu estilo de vida. Entre as principais iniciativas aplicadas nos pacientes, estão: reposição hormonal (comum depois dos 45 anos); psicoterapia; cremes e géis; próteses; e autoinjeção.

O maior problema, porém, não reside em realizar os tratamentos, mas em “confessar” à parceira o que acontece. Dependendo da intimidade, o melhor a fazer é conversar abertamente e explicar calmamente a situação. Diga que vai ao médico para continuar a oferecer a ela uma ótima qualidade de vida, que inclui a questão do sexo e saúde sexual. Acobertar a situação só vai gerar ainda mais angústia.

Lembre-se, além disso, que o seu caso não foi e nem será o único. Milhões de homens, de toda a sociedade que você pode imaginar, sofrem disso.

O importante é você saber, entre várias questões, que existe um problema de ordem física e/ou psicológica que pode ser tratável. O resto é com você: trabalhar a mente para que consiga levar uma vida boa, certo?

 

Então, nada de preconceitos!