Puberdade: o que acontece no corpo das meninas

A puberdade é uma fase de transição no desenvolvimento do corpo humano. Marcando a passagem da infância para a adolescência, ela é responsável por transformações biológicas que afetam o corpo e a mente.

Assim como em todas as mudanças, tudo corre mais tranquilamente quando estamos preparados para enfrentá-las. Entenda melhor como ocorre esse processo com as meninas e confira algumas dicas para saber como lidar com esse período.

Início da puberdade: por volta dos 8 anos, o hipotálamo – que liga o sistema nervoso ao sistema endócrino – libera um hormônio chamado gonadotrofina (GnRH), que vai até a glândula hipófise. Ali se dispara a produção de dois outros hormônios: o luteinizante (LH) e o folículo-estimulante (FSH). Eles estimulam os ovários a fabricar estrogênio e progesterona, responsáveis pelo desenvolvimento do corpo da mulher.

Voz: assim como os meninos, as meninas produzem testosterona, mas em menor quantidade. É esse hormônio que faz a cartilagem da laringe, onde estão as pregas vocais, aumentar em torno de 4 milímetros, deixando a voz menos aguda.

Curvas: o corpo da menina começa a ganhar contornos de mulher. Na presença do estrogênio, células do tecido adiposo na região das coxas, das nádegas e da barriga crescem e se multiplicam. Os locais em que a gordura se deposita variam muito de acordo com o biótipo de cada garota.

Menstruação: nos dois primeiros anos do período menstrual, o eixo hipotálamo-hipófise-ovários ainda não está amadurecido. Por isso, os ciclos são bem irregulares. A menina pode ter períodos com fluxo e frequência variados, algumas vezes sem ovulação.

Acne: de novo a testosterona – ela é um dos principais responsáveis pelo estímulo nas glândulas sebáceas, que secretam a gordura natural da pele. Esse sebo se acumula nos poros e serve de alimento para bactérias, provocando uma inflamação com pus, a espinha.

Pelos: quando a testosterona, liberada pelas glândulas suprarrenais e ovários, cai na circulação sanguínea, começam a crescer os primeiros pelos nas axilas, nas pernas e na região pubiana. É que os folículos capilares são incitados pelo hormônio.

Mamas: ao contrário do que muitos pensam, o primeiro sinal da puberdade não é a menstruação, mas, sim, o surgimento do broto mamário, com elevação da aréola e da papila. O estrogênio, o hormônio ovariano, é o maestro que rege essa transformação com data certa para ocorrer — em geral entre 8 e 10 anos.

Novos odores: os hormônios sexuais ativam as glândulas sudoríparas, que passam a produzir mais suor. Como o líquido é um alimento rico para bactérias, elas se proliferam nas axilas e nos pés. Daí porque essas regiões passam a exalar cheiros desagradáveis.

Crescimento: na infância, a velocidade média de crescimento das meninas é de 5 a 7 centímetros por ano. Antes da menarca (a primeira menstruação) chega a 12 centímetros por ano. Depois da menstruação, elas continuam crescendo num ritmo menor. É o resultado da soma dos hormônios sexuais e do GH, hormônio do crescimento, que multiplica as células e aumenta a síntese de proteínas nelas.

Com tantas transformações, é imprescindível o acompanhamento médico para certificar que todas as mudanças estão ocorrendo da maneira como devem ser e, caso haja algum problema, que seja detectado logo no início.

Fonte: Revista SAÚDE!