9 DICAS PARA SEU FILHO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Algumas crianças tem maior dificuldade em aceitar alimentos novos em seu cardápio. Confira 9 dicas para que seu filho tenha uma alimentação mais saudável

Uma boa forma de adicionar verduras, legumes e frutas na alimentação das crianças é

apresentar de forma diferente estes alimentos como, por exemplo, montando bichinhos com

 

pedaços de vegetais ou frutas. Foto: Shutterstock

 

Os hábitos alimentares da criança começam a se formar muito cedo, assim que sai da barriga da mãe. “O aleitamento materno promove a primeira experiência sensorial que propiciará uma diversificação das escolhas alimentares futuras da criança”, explica a pediatra Christiane Leite, do departamento científico de nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

“A dieta materna imprimirá ao bebê, por meio do leite, contato com aromas e sabores diferentes”, completa ela. Há estudos mostrando que crianças que tomam fórmula – que tem sempre o mesmo gosto – apresentam uma maior dificuldade em aceitar alimentos novos do que aquelas alimentadas até os seis meses com leite materno, que varia de sabor de acordo com o que a mãe come.

Na fase em que se começa a introduzir alimentos sólidos, é importante priorizar os naturais, sem excesso de sal e açúcar para que a criança desenvolva o paladar a partir do conhecimento dos sabores básicos. “Não se intimide se o bebê fizer cara feia para um alimento. Tudo é novidade”, lembra a nutricionista especializada em criança e adolescência Priscila Maximino, da Nutriciência (SP). Tudo fica mais difícil quando a criança passa a receber influências outras que não as dos pais. “Na escola ela terá acesso fácil a alimentos poucos saudáveis na cantina”.

 

Abaixo, você confere 9 dicas para que seu filho tenha uma alimentação saudável:

 

1. Crianças são mais abertas a acordos que os adolescentes. Comece com uma boa conversa, explicando que os verdinhos — ou coloridinhos — podem fazer com que elas fiquem mais fortes.

2. Envolva a criança no mundo dos alimentos. “Primeiro, convide-a para acompanhar as compras, manusear os vegetais, ajudar a escolhê-los”, diz a nutricionista Patrícia. “Depois, é o momento de envolvê-las também no preparo”, completa ela.

3. Faça apresentações diferentes dos alimentos. Monte bichinhos usando pedaços de frutas ou vegetais.

4. “Combine com a criança que ela irá experimentar um alimento novo por semana. Não precisa ser todos os dias”, diz a pediatra Lilian Zaboto.

5. Se a criança não quiser comer o que tem à mesa, espere até a próxima refeição para oferecer algo para comer. “Muitas vezes, a criança não aceita determinado alimento por saber que os pais oferecerão uma mamadeira, ou qualquer outro alimento, por ansiedade ou medo de que ela fique com fome”, diz a pediatra Christiane Leite.

6. “Limite doces ou alimentos gordurosos a uma vez por semana”, aconselha Lilian Zaboto. Mas faça essas concessões. É gostoso!

7. A criança não precisa aceitar a comida de apenas um jeito. Se ela não quer cenoura cozida, faça um bolo de cenoura. “Não há problema em camuflar o legume”, diz o pediatra e nutrólogo Ancona Lopez. “E também não tem problema comer o legume cozido em vez de cru. Há uma perda nutricional, sim, mas é bastante pequena e ainda assim vale a pena”, garante ele.

8. Não é preciso retirar alimentos do cardápio radicalmente. Uma boa estratégia é substituir o nuget por peito de frango em uma refeição, depois em duas, e gradativamente vá parando de comprar.

 

9. “Evite oferecer porções grandes demais. Às vezes, por si só esse tipo de atitude gera desânimo e também frustração”, diz Christiane Leite.