O NAMORO

O namoro é a fase em que ambos, homem e mulher, se conhecem. Muitas vezes o namoro começa até na amizade que vai se estreitando até virar namoro. Aí então a atenção de ambos se volta para o casamento, ou seja, embora se conhecessem na fase da amizade, verificam se estão preparados para o casamento. Ser amigos é uma coisa, casar é outra. Para ser amigo não precisa de nada, para casar é preciso ter emprego, ser paciente, religioso e, sobretudo, amar muito a Deus. Pois quem não ama a Deus, não ama o próximo.

No namoro é que se verifica a base de todo o casamento: amor, respeito mútuo, incentivo a prática de virtudes, etc. É nesse período que ambos vão se analisar com seriedade se seu respectivo cônjuge é realmente uma pessoa de caráter, que cultiva bons hábitos, gosta de trabalhar, respeita os pais e os mais velhos. Coisas que não combinam com um relacionamento a dois é: preguiça, indolência, vícios, vaidade, frivolidade, entre outros defeitos. Se for assim é o momento para terminar o relacionamento, pois não adianta casar tendo a infeliz idéia de que a pessoa vai melhorar com o tempo. É melhor voltar a ser apenas amigos, sem qualquer promessa futura de constituir casamento.

Passada essa fase inicial, vendo ambos que realmente o seu par é pessoa boa, e cientes de que o casamento é a vocação para que Deus as chamou, então se procede ao noivado.

Interagindo

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário

Enquete

Os Dez Mandamentos do Namoro Cristão

Namoro não é passatempo, namoro é vestibular para o casamento!

1. Não namore por lazer: namoro não é passatempo e o cristão consciente deve encarar o namoro como uma etapa importante e básica para um relacionamento duradouro e feliz. Casamentos sólidos decorrem de namoros bem ajustados.

  2. Não se prenda em um jugo desigual (II Co 6:14-18): iniciar um namoro com alguém que não tem temor a Deus e não é uma nova criatura pode resultar em um casamento equivocado. E atenção: mesmo pessoas que freqüentam igrejas evangélicas podem não ser verdadeiros convertidos ou não levarem o relacionamento com Deus a sério. 

3. Imponha limites no relacionamento: o namoro moderno, segundo o ponto de vista dos incrédulos, está deformado e nele intimidade sexual ou práticas que levam a uma intimidade cada vez maior são normais, mas o namoro do cristão não deve ser assim, o que nos leva ao próximo mandamento. 

4. Diga não ao sexo: Deus criou o sexo para ser praticado entre duas pessoas que se amam e têm entre si um compromisso permanente. É uma bênção para ser desfrutada plenamente dentro do casamento; fora dele é impureza. 

5. Promova o diálogo e a comunicação: conversar é essencial, estabeleça uma comunicação constante, franca e direta e não evite conversar sobre qualquer assunto. 

6. Cultive o romantismo: a convivência a dois deve ser marcada por gentileza, cordialidade e romantismo. Isso não é cafona, nem é coisa do passado e traz brilho ao relacionamento. 

7. Mantenha a dignidade e o respeito: o namoro equilibrado tem um tratamento recíproco de dignidade, respeito e valorização. O respeito é imprescindível para um compromisso respeitoso e duradouro. Desrespeito é falta de amor. 

8. Pratique a fidelidade: infidelidade no namoro leva à infidelidade no casamento. Fidelidade é elemento imprescindível em qualquer tipo de relacionamento coerente à vontade de Deus, que abomina a leviandade. 

9. Assuma publicamente seu relacionamento: uma pessoa madura e coerente com a vontade de Deus não precisa e nem deve lutar contra seus sentimentos ou escondê-los. 

10. Forme um triângulo amoroso: namoro realmente cristão só é bom a três: o casal e Deus.

Enquete